Desde 2002

Seu Guia para Viajar, Trabalhar, Morar ou Estudar na Nova Zelândia

  Nova Zelândia

Home  Mapa do Site   Anunciar

  English
  Español
Nova Zelândia Cidades Estudar Turismo Trabalhar Onde ficar Vistos Diversos
Tópico: Cidades

 Ilha Norte

  Auckland
  Bay of Plenty
  Coromandel
  Eastland
  Gisborne
  Hamilton
  Napier
  Northland
  Rotorua
  Taupo
  Tongariro N.P.
  Whakatane

 Ilha Sul

  Christchurch
  Dunedin
  Fiordland
  Glaciers
  Kaikoura
  Nelson & Picton
  Queenstown
  Wanaka

 

 

Link Patrocinado

Wellington

Click for Wellington, New Zealand Forecast

Wellington é a capital da Nova Zelândia com cerca de 600 mil habitantes, além de ser a capital cultural do país. A cidade é também a sede do Governo e do Parlamento da Nova Zelândia. A cidade é bastante moderna e estruturada construida em encostas de morros com vista para a Baía de Port Nicholson. Uma das coisas legais de Wellington, é que  é bem compacta e fácil de se locomover a pé. Toda a parte portuária foi transformada em uma imensa área de lazer, com parques e muitas atrações rolando o tempo todo. O comércio é rico e variado, com lojas ultra sofisticadas, e muitas coisas ligadas às artes. O centro tem prédios altos e modernos, e ruas bastante movimentadas. A cidade tem dois níveis, um plano baixo onde fica o centro, e outro no alto, onde se concentra a área residencial. A baía é bonita, e apesar do grande volume de navios e barcos, tem água transparente. O único problema que às vezes assola os Wellingtonians, é um ventinho sem vergonha, que quando sopra, faz do aeroporto a atração turística número um. Parece um bando de pilotos bêbados tentando aterrissar avião. A cidade é chique com renda per capita acima de Auckland, e com uma população que adora o ar livre. Existe grande mistura de nacionalidades, e culinária de quase todas as partes do mundo. Wellington oferece excelentes opções de estudo, trabalho e alta qualidade de vida.

Depois de um passeio pelo parque à beira do porto, o soprado turista poderá subir pelo funicular (cable car) até a parte alta da cidade para o bairro de Kelburn. De lá dá pra ver toda a baía e a cidade (foto). É barato e interessante, pois além da vista, o carrinho sobe em trilhos num plano inclinado, sendo que só existem dois funiculares iguais a esse em todo o mundo. O dito sai da Lambton Quay, e acaba no Jardim Botânico. Outro lugar interessante e que o funiculado turista não deve perder, é uma visita ao Beehive (foto), construção tal qual um bolo de noiva, que é a sede do Governo. Logo ao lado, fica o Parlamento, chamado de House of Representatives. Ambos estão na Bowen Street, e pode-se visitá-los todos os dias da semana no horário de expediente. Tem até um tour guiado, onde você aprende sobre o trabalho dos políticos e do Governo (grátis). Outra coisa à nível de curiosidade, é que por Wellington estar em cima de uma falha geológica e ser susceptível a terremotos, muitas construções foram erguidas em cima de calços de borracha gigantes, incluindo prédios governamentais. Para os Surfistas, Palliser Bay tem altas ondas caso o vento coopere. Para quem não gosta de água fria, a Oriental Parade, que acompanha a baía, tem parques à beira mar, é um bonito passeio a pé. Ao final dela, um subúrbio de casas e mansões encravados no morro, proporcionam excelentes composições para fotografias. Voltando pela rua interna, paralela à beira mar, tem um monte de lojinhas bem interessantes, e também muitos pubs, que à noite ficam repletos de gente. Wellington é uma cidade cultural, cheia de figuras interessantes nas ruas, cheia de bares, restaurantes, cinemas, shows de Rock, Óperas, Ballet, enfim, tem tudo em abundância para todos os gostos. O Museu Nacional,  Te Papa (não come ninguém) é um dos melhores museus de artes em toda a Nova Zelândia, e é imperdível.

De Wellington saem os barcos tipo Ferry para a Ilha do Sul até a cidade de Picton. O Interislander (foto) que opera com 2 barcos Ferries Boats Arahura e Aratere. Ambos são um luxo em seu interior, e durante a travessia é fácil de se conhecer pessoas e alegres conversas acontecem principalmente no bar. Lá tem opção de restaurantes com comidas prontas ou a la carte, acompanhadas dos melhores vinhos da Nova Zelândia. Salões com poltronas ultra confortáveis para ler um livro ou jornal, além de lojas com vários tipos de artigos interessantes. No deck superior, a vista é um espetáculo, e bancos e cadeiras estão a disposição dos que querem observar a paisagem ou tirar fotos. Só não esqueça de levar seu casaquinho, senão todas as suas fotos vão sair tremidas. A saída de Wellington e a chegada em Picton são os pontos altos da viagem. Não é raro ter muitos golfinhos seguindo a embarcação, e quando o ferry sai do estreito e entra no longo estuário protegido, até chegar no Porto de Picton (foto), o cenário vira coisa de cartão postal. A água do mar é tão transparente que parece que o navio flutua no ar.

Cursos em Wellington

Atrações turísticas de Wellington

Quanto custa atravessar o estreito (20012)

Em um único sentido nota: existem vários tipos de tarifas diferentes para estudantes seniors, familias, com descontos, possiblilidade de mudança de data e cancelamento. 
Interislander Ferry - pessoa NZ$ 55  ( websaver)
Interislander Ferry - carro/van NZ$ 193  ( websaver)
Bluebridge Cook Strait Ferry - pessoa NZ$ 51  ( saver sail)
Bluebridge Cook Strait Ferry - carro/van NZ$ 169 ( saversail)
Nota: Lynx é outro Ferry Boat  que opera durante o verão e é mais rápido.
Leia mais sobre a travessia na página sobre Nelson e Picton

Distâncias de Wellington até:

Auckland 660 km 8 horas e 30 min
Picton (por mar - Ferry) 96 km 3 horas e 20 min
Picton (por ar - Avião) 96 km 25 minutos
Rotorua 450 km 6 horas

Quem nasce em Wellington é "Wellingtonian"

Google Web Portal

 

 

 

 

 | Termos de uso Privacidade | Quem somos | Consultoria | Curriculum Vitae | Anunciar | Contatos |                                     

© Portal Oceania.com - Todos os direitos reservados - É vetada a reprodução de textos e fotos sem autorização.